Caio Túlio Costa / Biografia

Caio Túlio Vieira Costa, nascido em 1954 em Alfenas, MG, é jornalista.

Doutor em comunicação pela Universidade de São Paulo, é professor de Mídia, Informação e Comunicação na Era Digital no MBA em Jornalismo e Mídia na Era Digital  da ESPM-SP. De setembro a outubro de 2013, foi Visiting Research Fellow na Columbia University Graduate School of Journalism, em Nova York.

Na Columbia University, Caio Tulio desenvolveu pesquisa no sentido de mapear os modelos de negócios possíveis para a indústria da comunicação na era digital. Dela resultou o paper “Um modelo de negócio para o jornalismo digital: como os jornais devem abraçar as redes sociais, a tecnologia e os serviços de valor adicionado”.

Consultor em mídia digital,  é sócio da MVL Comunicação, empresa de relações públicas do Grupo Atitude Global. Caio Tulio também integra os conselhos da Fundação Padre Anchieta (TV Cultura-SP) e o da Transparência Brasil.

Trabalhou durante 21 anos no Grupo Folha onde foi editor da Ilustrada; secretário de redação nos anos oitenta (quando informatizou a redação e ajudou a implantar o projeto Folha); correspondente na Europa, baseado em Paris; primeiro ombudsman da imprensa brasileira; criador da Revista da Folha e fundador e diretor geral do UOL, o Universo Online, o primeiro provedor de internet de grande porte da América Latina.

Presidiu a Fundação Semco (2004-2006), uma inciativa do empresário Ricardo Semler, onde ajudou a criar o Instituto DNA Brasil, um think tank voltado para as questões estratégicas do país.

Em 2006 assumiu a presidência do Internet Group, então uma empresa da Brasil Telecom que uniu os portais e serviços do iG, iBest e BrTurbo. Deixou a empresa em 2009 quando a Oi assumiu o controle acionário do iG.

Como consultor, desenvolveu para a Oi a estratégia para uma plataforma multimidia e convergente.

Em 2010, foi o coordenador da área digital da campanha de Marina Silva (ex-PV) à presidência do Brasil. Em 2011, também atuou como o chairman da empresa Phorm no Brasil.

É autor de quatro livros: Ética, jornalismo e nova mídia – uma moral provisória (Zahar, 2009), O que é Anarquismo (Brasiliense, 1981), Cale-se (A Girafa, 2003) e Ombudsman – O Relógio de Pascal (Geração Editorial, 2006; Siciliano, 1990).

É co-autor da primeira versão do Manual Geral de Redação da Folha (1984), tem artigos em livros e revistas acadêmicas sobre comunicação e organizou livros como 50 Brasileiros param para pensar o país (Instituto DNA Brasil, 2005) e Somos ou estamos corruptos? (Instituto DNA Brasil: 2006).

“Moral Provisória – Ética e jornalismo: da gênese à nova mí­dia” é o tí­tulo de sua tese de doutorado defendida em junho de 2008 na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – a mesma que foi editada em livro pela Zahar.

Caio Túlio também ministrou aulas no departamento de Jornalismo da PUC de São Paulo, um curso na pós-graduação da ECA-USP e foi professor de Ética Jornalística na Faculdade Cásper Líbero, de São Paulo (2003 a 2012) onde também deu cursos de pós-graduação.

Biography in English- Biografia em inglês